Crise

Por causa dos ilusionistas é que hoje em dia muita gente acredita que poesia é truque...

Mario Quintana - Sapato Florido, 1948.

quinta-feira, 1 de março de 2012

AUTO-RETRATO

(
Trago pão na bolsa,
uma lágrima no bolso.

Esqueço-me das pequenas coisas
e não consigo atender
às grandes demandas do amor.

Trago fé entre os dedos,
um pé que sorri e se arrasta.

E não recupero meu Tempo.

Os sonhos desabam do instante,
marionetes do ocaso.

(E já não sei em quê tive certeza)

Jairo De Britto
de: Dunas de Marfim

Nenhum comentário:

Postar um comentário