Crise

Por causa dos ilusionistas é que hoje em dia muita gente acredita que poesia é truque...

Mario Quintana - Sapato Florido, 1948.

domingo, 4 de março de 2012

FILHO PRÓDIGO




I

Ele me olha
com a expectativa do mundo.
Sonda o que sei,
pensa que eu sei.

II

Ele me acompanha
com os olhos da vida.
Mira o que dei,
julga o que eu sei.

III

Ele me abraça
com os anos da infância.
Acha que sou rei,
acredita que eu voltei.

IV

Ele me beija
com os lábios da inocência.
Escolhe as palavras,
multiplica suas vidas.

V

Ele me descobre
no ocaso da existência.
Confere o que sei:
já sabe que não sou rei.


Jairo De Britto,
em "Dunas de Marfim"

Um comentário: