Crise

Por causa dos ilusionistas é que hoje em dia muita gente acredita que poesia é truque...

Mario Quintana - Sapato Florido, 1948.

sábado, 10 de março de 2012

CANTO EM DÓ MENOR


Canto cada sílaba.
Com olhos de cabra-cega,
avisto fontes de muitas cores.

Canto cada nota.
Com olhos de ser primeiro,
diviso frondes de pares dores.

Canto cada rota.
Com olhos de faquir agreste,
adivinho mau tempo e dissabores.

Jairo De Britto, em "Dunas de Marfim"

Nenhum comentário:

Postar um comentário