Crise

Por causa dos ilusionistas é que hoje em dia muita gente acredita que poesia é truque...

Mario Quintana - Sapato Florido, 1948.

segunda-feira, 2 de abril de 2012

ÁUDIO-CAIXA


A caixa se apresenta
e arrebenta
em curioso sabor:

Viaja de mão em mão,
esbarra em tácito,
plácido portão.

Encarna o sexo do artesão
em calmo,
solene protesto.

A caixa se apresenta
e agüenta
esperto prazer:

Erra, desvairada e simples,
sem medo, sem dor.

Enfrenta a face do sonho,
explode em discreto querer,
explode segredos no ar!

Quer ver?

Jairo De Britto, em "Dunas de Marfim"

Nenhum comentário:

Postar um comentário