Crise

Por causa dos ilusionistas é que hoje em dia muita gente acredita que poesia é truque...

Mario Quintana - Sapato Florido, 1948.

terça-feira, 7 de abril de 2015

A SAGRADA TAREFA*



Descer ou subir
ladeiras tornou-se ato
cada vez mais difícil
e dolorido - um antônimo
de caros e belos anos idos. 


Prever ou ocupar
cadeiras antigas - agora
um hábito prévio àquelas
de rodas não gigantes
então plenas de alaridos.

Crer ou caminhar
nas ruas da natal Cidade
tornou-se algo bem distinto
para o menino de antes:
aquele doutros saberes
e afoita menor idade.

Recohido à desventura,
ele alimentava a coragem
sobrevoando a Ilha Atlântica:
que sob os pés lhe ardia
quando sem asas caminhava.

Mas recolhia pequenas alegrias,
guardava sonhos diversos;
comprava flores, fazia café.

A esperança? Voltava inteira
cada vez que ouvia pessoas
carentes e simples - aquelas
dotadas de maior Saber!

E sua diária, sagrada tarefa,
era com elas aprender a falar;
redescobrir o Norte perdido:
recuperar o esperto caminhar!


*Jairo De Britto, em "Dunas de Marfim"
[Arte; Karoly Ferenczy]

Nenhum comentário:

Postar um comentário